Pesquisas gerais

Carregando...

sábado, 26 de março de 2011

Perguntas e respostas

PROTESE TOTAL DE QUADRIL 

PERGUNTAS FREQUENTES

1-Quantos dias uma pessoa que faz cirurgia do quadril precisa ficar no hospital?

É uma cirurgia importante e o paciente deve ser respeitado e protegido nas primeiras 72 horas. Não banalizar.

2-Quem faz uma Prótese Total de Quadril precisa ficar afastado de suas atividades normais por quanto tempo?

Depende da atividade. Deve ser respeitado pelo menos o tempo de cicatrização da pele, em torno de duas semanas. Atividades físicas mais específicas e com maior exigência de esforço devem ser evitadas até que ocorra a cicatrização, de forma adequada e sem tensões, das estruturas profundas.

3-Por quanto tempo permanece a dor e a perna inchada depois da Prótese Total de Quadril?

A dor forte geralmente diminui rapidamente durante as primeiras semanas, mas o completo desaparecimento ocorrerá em aproximadamente doze meses ou até mais, depende do paciente. O inchaço é devido a alterações no fluido retorno até o limbo e irá gradualmente diminuir, mas pode demorar muitos meses. Mobilização ajuda, assim como a elevação da perna do lado operado.

4-Quanto de exercício pode ser feito?

Exercício leve e moderado é benéfico, mas o excesso pode ser desconfortável e doloroso. Isso pode guiar o paciente a evitar exageros.

5-Quando dirigir depois da cirurgia de Prótese Total de Quadril?

É uma questão individual. Algumas pessoas recuperam a coordenação e os reflexos rapidamente e outros demoram mais tempo. Normalmente, deve-se evitar dirigir por pelo menos duas a três semanas após a Prótese Total de Quadril.

6-Quanto às escadas após a Prótese Total de Quadril?

Nos primeiros dias após a cirurgia, o importante é aprender a andar e evitar que o lado operado realize o esforço da subida. A demora em readquirir ritmo e agilidade na escada depende de características individuais.

7-Sapatos com salto alto podem ser usados após a Prótese Total de Quadril?

Devem ser evitados nas primeiras seis a oito semanas. Após, conforme a segurança e o conforto.

8-Utilizar calor ou gelo após a Prótese Total de Quadril?

Nas primeiras semanas, o gelo é melhor. Após, o calor pode ser usado para ajudar a aliviar dores pós-contratura muscular. Lembrar que ambos podem ser prejudiciais usados por muito tempo. Nunca dormir com uma almofada quente em seu quadril, pois pode causar queimaduras. Gelo pode ser usado várias vezes ao dia. Cerca de 30 minutos com 30 minutos de intervalo, esse é o regime habitual.

9-Por quanto tempo a medicação pós-operatório deve ser mantida?

Anticoagulantes como aspirina devem ser tomados durante um mês. Medicações para controle da dor devem ser utilizadas durante os primeiros dez dias do pós-operatório. Após, utilizar apenas se necessário. Se tiver alguma dúvida sobre os medicamentos, pergunte ao seu médico.

10-Ruídos no quadril são esperados após a Prótese Total de Quadril?

São mais comuns nas superfícies cerâmica-cerâmica. Nas outras superfícies os ruídos estão relacionados à posição dos componentes ou à atrofia muscular; neste caso o reforço muscular é a solução.
Em caso de prótese não cimentada com cerâmica se houver barulho vá ao medico com urgência a cerâmica pode ter desencaixado  .
                                                                                                   

11-E quanto a sexo?

Geralmente é permitido aos pacientes retomarem atividades sexuais, tão logo se sintam capazes. Nas primeiras semanas após a cirurgia, os pacientes geralmente são aconselhados a ter calma e a modificar seu posicionamento, para manter o quadril livre de esforços fora do comum, durante o período de cicatrização. Como de costume, o melhor é consultar com seu médico sobre o que é seguro para sua condição especial.

12-Quanto tempo de imobilização completa após uma Prótese Total de Quadril?

A imobilização é desnecessária. O paciente caminha em menos de 24 horas.

13-A obesidade compromete o prognóstico da Prótese Total de Quadril?

Dificulta o trans operatório e exige maiores cuidados no pós operatório.

14-Pacientes fumantes e ou diabéticos estão sujeitos a dificuldades?

Problemas relacionados com a autodefesa, infecção e cicatrização.

15-A osteoporose inviabiliza a Prótese Total de Quadril?

Não, somente exige maior atenção à condição morfológica e estrutural do osso. Não costuma ser um problema, mas devemos estar atentos essa condição de maior fragilidade do osso.

16-Existe algum tipo de paciente para o qual não pode ser recomendada uma Prótese Total de Quadril?

Sim, pacientes com problemas neurológicos, com graves atrofias ou espasticidades, pacientes muito debilitados ou pouco colaborativos e pacientes infectados ou com alta predisposição para infecções.

17-É possível a Prótese Total de Quadril bilateral no mesmo tempo cirúrgico?

Sim. O que deve ser discutida é a oportunidade. Particularmente, não indico as cirurgias no mesmo momento cirúrgico. Penso ser muito risco para o paciente, embora possa apresentar alguma vantagem sob o ponto de vista de custos hospitalares.

18-O que é uma artroplastia de quadril?

É um rearranjo cirúrgico da articulação. Nas “artroplastias de substituição” são usadas as diversas combinações de próteses.

19-Existe artroplastia de quadril sem prótese?

Sim. Por exemplo Artroplastia de Gidrlestone, utilizada quando a prótese deve ser removida temporariamente.

20-O que é artrose de quadril?

É o comprometimento das cartilagens articulares da cavidade acetabular e da cabeça femoral, que perdem as suas características e deixam de promover os movimentos amplos livres e indolores da articulação.

21-A Prótese Total de Quadril é uma cirurgia que necessita de transfusão de sangue?

Nem sempre.

22-Como escolher a prótese e o médico?

Penso que o mais importante é a escolha do médico.

23-Problemas para dormir à noite após a Prótese Total de Quadril?

É muito comum. É preciso ter paciência. A cicatrização demora cerca de seis a oito semanas, portanto pode ser um pouco desconfortável nesse período. Durante o sono o organismo diminui a produção do analgésico natural (endorfinas), então a dor se manifesta. A medicação analgésica prescrita deve ser utilizada. Movimentos fora do leito também podem auxiliar. O paciente deve permanecer ativo e evitar dormir durante o dia. O repouso diurno dificulta o sono noturno. O sono normal retornará com o fim do processo cicatricial, entre seis e doze semanas.

24-Qual a idade média dos pacientes candidatos à Prótese Total de Quadril?

Nos Estados Unidos a média de idade dos pacientes está em torno de 55-70 anos, porém pacientes cada vez mais jovens e, pelo aumento da sobrevida, pacientes cada vez mais idosos são candidatos a receber Prótese Total de Quadril.

25-A Prótese Total de Quadril pode durar toda uma vida?

A longevidade de uma Prótese Total de Quadril varia de paciente para paciente. Depende de muitos fatores, como condição do paciente, nível de atividade física, peso corporal, qualidade do osso e da técnica cirúrgica. Uma prótese não é tão forte ou durável como uma articulação natural e saudável. Não há garantia de que uma prótese irá durar o resto da vida do paciente. Todas as próteses podem ser revisadas e ter alguns de seus componentes substituídos.

26-Qual a relação da Prótese Total de Quadril com os sensores de metais?

Equipamentos muito sensíveis de bancos e aeroportos detectam a presença da prótese.

ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL

ARTROPLASTIA DE QUADRIL

Artroplastia ou Prótese Total do Quadril se caracteriza pela substituição ou troca da articulação do quadril. Esta cirurgia foi idealizada por ortopedistas para restabelecer a função da articulação coxo-femoral. Muitas doenças acometem esta articulação, sendo que as mais importantes são: Artrose de Quadril e Fraturas do Colo do Fêmur.Necrose avascular da cabeça do femur.

As primeiras próteses idealizadas foram confeccionadas com materiais que tinham pouca bio-compatibilidade. Entre eles podemos citar o ouro, acrílico, vidro, baquelite, etc. As próteses atuais são feitas de materiais totalmente bio-compatíveis. Os mais empregados são: polietileno de alta densidade, cobalto, cromo-titânio, polimetilmetacrilato.

Existem vários tipos de prótese de quadril. A indicação de usar uma ou outra prótese depende da idade do paciente, do tipo de doença, da qualidade do osso e da experiência do cirurgião.


Tipos de Prótese:
. Prótese cimentada
. Prótese não-cimentada
. Prótese Híbrida
. Prótese Cefálica uni-polar
. Prótese Cefálica bi-polar
. Endo-prótese
. Prótese em Copa

A prótese cimentada é aquela em que usa-se cimento ósseo para fixar o componente acetabular na bacia e a parte femoral no fêmur. A mais utilizada é a prótese de Charnley. O acetábulo é confeccionado com polietileno de alta densidade (tipo especial de plástico) e a parte femoral é feita de liga metálica cobalto-cromo-titânio. Normalmente usamos esta prótese em pacientes com idade mais avançada.

A prótese não-cimentada é aquela em que fixamos suas partes (acetábulo e componente femoral) diretamente na superfície óssea, sem a utilização de cimento. Este tipo é indicado para pessoas mais jovens, com boa qualidade óssea.

Na prótese híbrida, o componente acetabular é fixado à bacia através de parafusos, sendo o componente femoral fixado com cimento ao fêmur. É usada em pacientes com até 75 anos de idade.

As próteses uni e bi-polares são utilizadas em pacientes idosos, com fratura do colo do fêmur e que necessitam sair do leito o mais precoce possível.

As endo-próteses são utilizadas para a substituição de grandes segmentos ósseos, como no caso de um tumor que comprometa a parte superior do fêmur.

As próteses em copa estão em desuso, sendo utilizadas eventualmente em pacientes com fratura de acetábulo em péssimas condições de saúde, pois uma prótese total necessita de maior tempo cirúrgico e anestésico, dificilmente suportado por esse tipo de paciente.

Para a realização da cirurgia de prótese, o paciente deve estar hospitalizado e ter uma série de exames complementares. O ato cirúrgico é realizado em ambiente totalmente estéril e com equipe cirúrgica bem treinada. Normalmente esta cirurgia dura 3 horas. Após a cirurgia, o paciente deverá permanecer na Unidade de Tratamento Intensivo - U.T.I. - durante 24 horas.
Os cuidados após a cirurgia são muito importantes. Dependendo do tipo de prótese, o paciente deverá ficar até 45 dias sem apoiar o membro operado.

Tais cuidados incluem:- Ao levantar de uma cama baixa, sempre usar o membro inferior não operado para apoio;
- Ao sentar, procurar usar cadeiras altas e sentar sempre com as pernas abertas;
- Ao usar o sanitário, não curvar o corpo para a frente;
- Não vestir meias sozinho;
- Ao deitar de lado, usar sempre um travesseiro entre as pernas;

Novas próteses surgem no mercado para atender às pessoas mais jovens que, por diversas razões, precisam fazer uma artroplastia, e precisam ser aperfeiçoadas, pois o organismo tem reações celulares às pequenas partículas que são liberadas pelo encaixe plástico (polietileno) ou pelas partículas de metal ou do próprio cimento ortopédico que foi usado para fixação. Todos esses produtos causam reação óssea tipo osteoporose, que deixa a prótese frouxa, causa dores ou quebra o osso. Todo esse desgaste pode ser assintomático.

A cirurgia de artroplastia do quadril é geralmente bem sucedida e as complicações são raras. As possibilidades são que 95% das vezes não ocorra nenhum problema sério. A complicação mais temível ‚é uma infecção. A possibilidade que ocorra uma infecção em um quadril que nunca foi operado antes é de menos de 1 por cento. A infecção pode ser causada por bactérias que entram no quadril no momento da operação. As precauções que se tomam contra a infecção são certos cuidados no momento da cirurgia e o uso de antibióticos durante o período de internação hospitalar. As infecções podem ser introduzidas no quadril pela corrente sangüínea a qualquer tempo depois da operação. Se o paciente que foi submetido a uma artroplastia total do quadril tiver um infecção bacteriana em qualquer parte do corpo, deve ser tratado rapidamente por um médico sob risco de ter problemas no seu quadril.

A soltura da prótese, é a principal complicação a longo prazo. A durabilidade da prótese é determinada por três fatores. A habilidade do cirurgião é o primeiro e o mais importante deles. Se a operação é bem feita, ela irá durar mais que uma que é mal feita. O segundo fator é o esforço a que essa prótese será submetida. Isto depende da atividade que o paciente exerce. Exercícios vigorosos como correr ou levantar objetos pesados podem causar grandes esforços na operação e soltar a prótese ao correr do tempo. Pessoas com excesso de peso podem causar problemas na prótese mesmo em atividades normais. O terceiro fator que pode causar soltura da prótese de quadril ‚ o estado do osso do paciente. Às vezes osteoporose, deformidades, ou cirurgias prévias podem comprometer a qualidade da fixação da prótese ao osso. A cirurgia é uma solução que se recomenda para as pessoas depois dos 60 anos, porque a prótese, depois de 15 a 20 anos, fica enfraquecida e precisa ser substituída, quando se rompe. A cirurgia da artroplastia total do quadril é um procedimento realizado com grande apuro técnico, com variadas opções de material cirúrgico que trazem gratificante alívio das dores, e na incapacidade dos pacientes.

Luxações podem ocorrer em uma percentagem muito baixa das vezes. Luxação significa que a bola metálica da cabeça da prótese sai de dentro da cavidade de plástico. A bola metálica fica presa dentro do plástico porque existe a força dos músculos do quadril que a seguram. Assim, pacientes com os músculos enfraquecidos estão mais sujeitos a que isso ocorra. Durante as primeiras semanas após a operação antes que se forme uma cicatrização firme em volta da prótese e os músculos estão ainda fracos, a prótese está mais sujeita a luxações. Nesta fase, certas posições do quadril devem ser evitadas. O cirurgião e o fisioterapeuta que esteja familiarizado com este tipo de operação vão ensiná-lo como evitar essas posições e usar com segurança seu quadril. Se por um acaso ocorrer uma luxação da prótese, geralmente é recolocada no lugar simplesmente puxando o membro inferior. Ocasionalmente pode ser necessária uma operação para recolocá-la na sua posição correta.

Pode ocorrer a soltura do acetábulo(plástico,cerâmica) e com isso devera ser realizado novo procedimento cirúrgico para a remoção mesmo e colocação do novo material.


A incidência de acidentes neurológicos, em artroplastias primárias (quando se realiza a cirurgia pela primeira vez, sem complicações) é de 1% dos procedimentos. Existem algumas lesões neurológicas que podem comprometer significativamente os resultados da cirurgia, que são incapacitantes. As lesões neurológicas chamadas de neuropraxia, são causadas durante a cirurgia, por pressão dos afastadores cirúrgicos, mas, na realidade, não existe no nervo uma lesão anatômica. O prognóstico é bom e o déficit neurológico dura poucos dias. A outra é uma lesão dos axônios (axoniotmese), mais grave, que quando a regeneração não é efetiva pode surgir atrofia, fibrose muscular e degeneração da placa motora. Quando ocorre lesão completa do nervo, chama-se neurotmese que é a de pior prognóstico, formando os neuromas dolorosos. Os nervos que estão em risco de serem comprometidos, durante a cirurgia da artroplastia do quadril, são o nervo glúteo superior, obturador, femoral e ciático.

A lesão do nervo glúteo superior que inerva os músculos glúteos máximo e médio, o tensor da fáscia lata, leva à marcha tipo Trendelemburg por fraqueza dos abdutores do quadril. A lesão do nervo obturador causa dor e parestesia, na face medial da região inguinal e na face medial da coxa, além de fraqueza da musculatura adutora. A lesão do nervo femoral causa dor e parestesias, na região inguinal e anterior da coxa. Seu déficit motor corresponde à fraqueza do quadríceps femoral. Seu prognóstico de recuperação é bom. A lesão do nervo ciático, ocorre em 80% das ocorrências devido a causas que ocorrem durante a cirurgia: traumatismo direto, aquecimento com eletrocautério, traumatismos por fragmentos ósseos, protusão de cimento, compressão durante afastamento, traumatismos por sutura ou fios de aço, hematoma e alongamento excessivo do membro. Mas em 50% dos casos não se consegue chegar a uma conclusão definitiva sobre a origem da lesão. Os déficits neurológicos da lesão do ciático resultam em dificuldades durante a marcha, deformidades no pé e lesões cutâneas hipoestésicas.

Em ocasiões raras, pode haver fratura do fêmur durante a operação ou mesmo por traumatismos sofridos algum tempo depois. Ainda pode ocorrer desgaste do plástico da prótese após anos de uso.

O paciente deve ter consciência que o quadril operado não é igual ao quadril normal, apesar de alguns pacientes sentirem-se absolutamente normais. O alívio da dor e a qualidade da artroplastia são determinados em parte pelo tipo de problema que o paciente tem. É pouco comum que haja algum tipo de dor após a operação que não possa ser explicada.

Uma complicação clínica muito freqüente é a formação de coágulos nas veias da perna, o que pode causar um tromboembolismo. Ocasionalmente, os coágulos podem mover-se pela circulação até os pulmões e causar preocupações maiores. A possibilidade de risco de vida é de uma em várias centenas de operações. Algumas medidas são tomadas para evitar os coágulos, como iniciar exercícios logo após a operação e usar meias para varizes por algum tempo. Por vezes é necessária a administração de alguns medicamentos para prevenir essas complicações.

Outras complicações ainda menos freqüentes podem ocorrer, mas o paciente deve ter em mente que a possibilidade de ter qualquer problema mais sério é muito pequena. Mas uma cirurgia de grande porte como uma artroplastia sempre envolve riscos...